• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Acidente/Borba: Município acolhe familiares das pessoas desaparecidas

19/11/2018 20:42

A Câmara de Borba, no distrito de Évora, abriu hoje à tarde um espaço para acolher familiares das pessoas que estão desaparecidas numa pedreira, na sequência de um aluimento de terras, disse à agência Lusa fonte do município.

Há trabalhadores que estão desaparecidos e pessoas que circulavam na estrada, disse a fonte.

O apoio está a ser prestado por uma equipa de psicólogos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que esteve no local do acidente e, depois, se deslocou para os Paços do Concelho, além da assistente social da câmara.

Naturalmente, as pessoas chegam aflitas, sem saberem dos familiares e à procura de respostas, relatou a fonte.

A Lusa assistiu à chegada de vários familiares, que foram recebidos por outros que já se encontravam no local e que os vieram esperar nas imediações, conduzindo-os ao interior da câmara.

As equipas de socorro já estabeleceram contacto visual com a retroescavadora e uma das vítimas arrastadas hoje à tarde para o interior da pedreira.

Fonte do INEM indicou à agência Lusa que foi avistada a retroescavadora com o corpo de uma das vítimas, mas não confirmou a situação desta pessoa, por dificuldade de acesso.

Segundo a mesma fonte, o aluimento de um troço da Estrada Nacional (EN) 255, no percurso entre Borba e Vila Viçosa, provocou a queda de dois veículos civis para dentro de uma pedreira com 50 metros de profundidade.

A fonte do INEM realçou que, além de fazer cair um veículo ligeiro e uma carrinha de caixa aberta, a terra com a água da pedreira provocou também o deslocamento de uma retroescavadora com o maquinista e auxiliar.

De acordo com a mesma fonte, desconhece-se ainda o número total de vítimas na sequência do aluimento na estrada, cujo alerta foi dado às 15:45.

O INEM acrescentou que acionou um helicóptero, uma viatura médica de emergência e reanimação (VMER), uma ambulância de suporte imediato de vida (SIV) e diversas ambulâncias de várias corporações de bombeiros, além de uma equipa de psicólogos.

Anteriormente, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora avançou à Lusa haver a suspeita que quatro a cinco pessoas poderão ter ficado submersas na pedreira.

Há a suspeita de quatro a cinco vítimas que estarão submersas no interior da pedreira, afirmou.

As operações de socorro mobilizavam, pelas 19:15, 59 operacionais e 22 veículos das autoridades, além de um helicóptero do INEM.

Na sequência do aluimento de terras, um troço da estrada 255 abateu para dentro de duas pedreiras, que ficam contíguas à via, uma ativada e outra desativada, segundo fontes locais contactadas pela Lusa.

Um percurso de cerca de cinco quilómetros desta estrada está ladeado de pedreiras de mármores.

Na sequência da derrocada, a via está cortada ao trânsito.