• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Festival para Gente Sentada apresenta Nils Frahm e Marlon Williams em Braga

15/11/2018 19:17

O Festival para Gente Sentada regressa a Braga para a segunda edição, na sexta-feira e no sábado, com o alemão Nils Frahm, o neozelandês Marlon Williams e a sul-africana Alice Phoebe Lou como principais nomes do cartaz.

Com concertos no Theatro Circo, no GNRation e no centro da cidade de Braga, o evento reúne vários nomes emergentes da música alternativa internacional, como a catalã Núria Graham, e outros valores do panorama nacional, como os Riding Pânico ou Filipe Sambado.

Os dois dias arrancam no centro da cidade, pelas 19:00, com West Coast Man, projeto de Pedro Costa, na sexta-feira, e a banda lisboeta Madrepaz no sábado, com atuações na Rua do Castelo antes do jantar.

Pelas 22:00 de sexta-feira, Alice Phoebe Lou apresenta ao público o ‘blues’ e a fusão de estilos que caracteriza a cantautora sul-africana, com o álbum de estreia “Orbit”, de 2016, a dar lugar, ainda este ano, ao próximo registo de estúdio, “Paper Castles”.

Lou, de 25 anos, lançou no final de 2017 o EP “Sola”, além de um livro de poesia, notabilizando-se com a música “She”, criada para o filme “Bombshell: The Hedy Lamarr Story”, que entrou na lista final de candidatos às nomeações ao Óscar de Melhor Canção Original.

Uma hora depois, segue-se Marlon Williams, neozelandês de 27 anos que participou, já este ano, no filme “Assim Nasce Uma Estrela”, realizado por Bradley Cooper e a quarta versão da história, com Cooper e Lady Gaga nos principais papéis (que sucedem às `duplas` Janet Gaynor e Fredric March, no original de William Wellman, 1937, Judy Garland e James Mason, de George Cukor, 1954, e Barbra Streisand e Kris Kristofferson, de Frank Pierson, 1976).

Em Braga, Marlon Williams vai apresentar o sucessor ao álbum de estreia homónimo, de 2015, intitulado “Make Way for Love”, lançado já este ano, tendo sido nomeado como Melhor Artista Masculino pelo Variety Artists Club da Nova Zelândia.

À noite, o GNRation volta a acolher propostas lusas, com a dupla Medeiros/Lucas marcada para as 00:30 e Filipe Sambado pelas 02:00 da madrugada de sábado.

No segundo e último dia, o palco do Theatro Circo recebe a catalã Núria Graham, a apresentar o álbum de 2017 “Does It Ring a Bell?”, naquele que é já o terceiro disco da jovem cantora de 22 anos.

Nils Frahm, o cabeça de cartaz do festival, sobe ao palco pelas 23:00 de sábado, mostrando “All Melody”, editado este ano e apresentado cinco meses antes no Porto, no festival Primavera Sound.

O compositor, produtor e intérprete de Hamburgo é reconhecido por uma abordagem pouco convencional ao piano, em que combina sonoridades clássicas e eletrónicas, além de ferramentas de percussão.

Ao longo da carreira, o músico de 36 anos colaborou já com músicos como Ólafur Arnalds ou Woodkid, e lançou bandas sonoras para teatro ou para cinema, a que se somam nove álbuns em nome próprio.

IAN, o projeto da violinista russa Ianina Khmelik, da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, abre o palco do GNRation pelas 01:30 da madrugada de domingo, trazendo o ‘trip hop’ e a eletrónica alternativa para o festival.

Seguem-se os portugueses Riding Pânico (02:30), já depois de começar o ‘dj set’ do ator Nuno Lopes, noutra sala do espaço bracarense, no encerramento do evento.

O festival nasceu em Santa Maria da Feira, onde se realizou até 2014, tendo passado para Braga no ano seguinte.

Desde o começo, o evento já contou com nomes como Devendra Banhart, Robert Fisher, Woven Hand, Low, Tindersticks, entre outros.