• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Anseio de décadas ganha forma na duplicação da Estrada Nacional 14

20/10/2018 08:57

Obras na EN14 no concelho de Vila Nova de Famalicão estão concretizadas em 40 por cento, a meio do prazo, perspectivando-se a conclusão dos trabalhos em Abril/Maio do próximo ano. No terreno, ministro da tutela apontou solução para a Trofa.

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, anunciou, ontem, em Vila Nova de Famalicão, que a solução desenhada para a Variante à Estrada Nacional 14 (EN14), em particular a nova travessia sobre o Rio Ave, aguarda luz verde da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

O governante esteve em Vila Nova de Famalicão para acompanhar as obras em curso na EN14 no âmbito do programa de valorização de áreas empresariais.

Pedro Marques apontou que existe “finalmente uma solução adequada para o atravessamento do Rio Ave” e manifestou a expectativa de que esta seja aprovada pela APA até ao final deste ano.

É da luz verde da APA que depende a tramitação de todo o processo para concretizar o último troço da EN14, sendo certo que não haverá obra no terreno antes de 2020 e que este investimento também deverá “convocar” o orçamento de Estado, como assumiu o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, dada a ‘exlusão’ deste tipo de investimento dos fundos comunitários.

É o único troço que será concretizado em variante, como chegou a estar projectado para toda a extensão entre Vila Nova de Famalicão e Maia.
Em breve, irá avançar, também, a beneficiação da EN 14 no concelho da Maia, empreitada que está pendente do visto do Tribunal de Contas.

A bom ritmo decorre a obra na área do concelho de Vila Nova de Famalicão com o ministro a apontar a conclusão para Abril/Maio de 2019.

Pedro Marques defendeu que este “é o tipo de obra que deve ser feito em matéria de investimento público”, até porque as acessibilidades podem ditar a decisão de localizar ou deslocalizar empresas para outras regiões ou até outros países.

“Acreditamos que estes acessos de última milha farão toda a diferença” afirmou o ministro, reconhecendo que os empresários têm correspondido em termos de criação de emprego e de investimento.

“Vamos continuar a fazer caminho e investimento público” garantiu Pedro Marques que apontou o crescimento do investimento na ordem dos dois dígitos em 2017 e em 2018, que espera ver chegar aos 17 por cento em 2019.

O governante concretizou que o investimento da Infraestruturas de Portugal (IP) cresce, no próximo, 34 por cento.

Boa execução na EN14 agrada a autarca que pede investimento em Ribeirão

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, manifestou ontem a sua gratidão ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, por ter honrado a palavra assumida com o Município no que toca à beneficiação da Estrada Nacional 14.

Paulo Cunha congratulou-se com “a boa execução dos trabalhos”, mas lembrou que “é desejável que o processo continue na Trofa e na Maia”, justificando com o “grande contínuo empresarial” deste território onde se localizam muitas e grandes empresas como a Continental Mabor.

O edil famalicense sublinhou o “grande contributo” destes três concelhos para a capacidade de produção, de criação de emprego e de exportação.

Neste contexto, Paulo Cunha lembrou que há outras áreas empresariais - como a zona industrial de Ribeirão - que também precisam de apoio infraestrutural e que ficaram de fora com a opção de duplicação da EN 14 em vez da construção da variante no concelho famalicense. O autarca pediu ao ministro da tutela “que se crie contexto nos eixos comunitários para contemplar” esta área empresarial.