• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

CDS `chumba` ministro da Educação e distancia-se do Presidente da República

20/09/2018 16:17

O CDS-PP ‘chumbou’ hoje o ministro da Educação pelo início do ano letivo e, pela segunda vez em três dias, demarcou-se dos elogios do Presidente da República a Tiago Brandão Rodrigues pelo investimento nas escolas.

Numa declaração política no plenário da Assembleia da República, a deputada Ana Rita Bessa marcou, aliás, “falta de material e de presença” ao ministro da Educação e concluiu que o governante “começou já com mau aproveitamento” o ano letivo 2018/2019, esta semana.

Ana Rita Bessa usou o mesmo tom da presidente do partido, Assunção Cristas, na terça-feira, numa visita a uma escola em Lisboa, quando recusou acompanhar o elogio feito pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a Tiago Brandão Rodrigues pelo investimento nas escolas.

A parlamentar centrista admitiu que o ano letivo pode ter começado “numa escola requalificada em Celorico de Basto”, vista pelo Presidente e pelo ministro, mas deu exemplos de estabelecimentos onde não houve obras no Porto, Coimbra, Alfândega da Fé ou Vinhais.

“Há investimento orçamentando, mas não realizado, há encenação, mas não há execução”, acusou.

E juntou, à lista de problemas, os atrasos e as dificuldades de os livreiros distribuírem os manuais gratuitos, a greve anunciada dos professores, devido ao conflito com o descongelamento de carreiras.

Ana Rita Bessa fez as contas, afirmando que o ministro está “em funções há dois anos, nove meses e 21 dias”, mas que já está esgotado.

“Este ano letivo começa com falta de material e falta de presença. Para o Ministério da Educação, o ano começou já com mau aproveitamento”, disse.