• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Governo felicita encenador Tiago Rodrigues por Prémio Europa de Teatro

12/07/2018 16:42

O ministro da Cultura felicitou hoje o encenador Tiago Rodrigues, atual diretor do Teatro Nacional D. Maria II, pela sua distinção com o Prémio Europa de Teatro – Novas Realidades Teatrais.

“Ao longo dos anos Tiago Rodrigues foi desenvolvendo um trabalho de releitura de obras que temos por referências, sejam elas romances, como ‘Bovary’ (2014), a partir do processo judicial a que foi sujeito Gustave Flaubert pela escrita do romance, ou ‘Como ela morre’ (2017), a partir de ‘Anna Karenina’, de Tolstoi, ou clássicos teatrais, nomeadamente de Eurípedes, Ésquilo e Sófocles, a saber ‘Ifigénia’, ‘Agamemnon’ e ‘Electra’ (2015), ou ‘António e Cleopatra’ (2014), de Shakespeare”, lê-se na nota ministerial hoje divulgada.

Em todos os trabalhos citados, “habita um desejo de aproximação dramatúrgica à realidade, moldando-a de tal modo que torna possível, no tempo do espetáculo, acreditar numa mudança”.

“Isso mesmo surge indicado na justificação do júri, que sublinha a singularidade de uma escrita atenta à importância de resgatar o teatro da sua efemeridade, devolvendo à condição de motor de uma intervenção política no sentido mais nobre do termo. A sua escrita sublinha o desejo de convocar uma comunidade para um espaço reconhecível e, por isso, transversal porque capaz de acolher diferentes sensibilidades, memórias e vontades”, afirmou o ministro Luís Filipe Castro Mendes.

No comunicado, o Governo cita os espetáculos “Três dedos abaixo do joelho” (2012), “By Heart” (2013) e “Sopro” (2017), “onde é mais evidente um compromisso com a memória e, em particular a memória teatral, dão conta de um desejo de pensar a palavra como motor de uma ação sobre o presente, evocando histórias e responsabilidades dos que nos precederam e, por isso, devemos homenagem”.

“O teatro de Tiago Rodrigues é, desse modo, exemplo de uma pesquisa intensa sobre uma arte antiga face a uma contemporaneidade que nos sujeita a regras nem sempre claras no modo de viver em comum”, afirma o ministro que refere a companhia teatral de Tiago Rodrigues, Mundo Perfeito.

Quer na companhia, quer nos diferentes projetos em que Tiago Rodrigues esteve envolvido ao longo dos anos, o criador “procurou entender de que modo o cruzamento entre realidade e ficção pode ser aplicado à ténue fronteira existente entre a realidade daqueles que interpretam as ficções”.

Luís Filipe Castro Mendes assinala que esta é a segunda vez que o teatro português é distinguido pelo Prémio Europa de Teatro – Novas Realidades Teatrais, já que, em 2010, o Teatro Meridional foi premiado pela sua “política de reportório que alia níveis artísticos elevados à abertura a novos textos literários”.

O Prémio Europa de Teatro foi instituído em 1986 e, entre os criadores distinguidos, constam nomes como os dos dramaturgos ou encenadores Christoph Marthaler, Thomas Ostermeier, Katie Mitchell e Pippo Delbono.