• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Encomenda de 2.164 euros à Ambigold na origem de busca da PJ em Póvoa de Lanhoso

10/07/2018 19:17

A Câmara de Póvoa de Lanhoso explicou hoje que a Polícia Judiciária esteve em junho nos Paços do Concelho por causa de uma encomenda, à empresa Ambigold, de equipamento para um parque infantil, no valor de 2.614 euros.

“Quem está a ser investigado não é a câmara Municipal, é a empresa Ambigold”, sublinha o município, em “esclarecimento” publicado na sua página oficial.

A Polícia Judiciária esteve em finais de junho na Câmara de Póvoa de Lanhoso no âmbito da operação “Tutti Fruti”, em que estarão em causa suspeitas da prática de crimes económico-financeiros decorrentes da contratação de pessoal e da adjudicação direta de serviços a empresas ligadas ou controladas por dirigentes políticos, sobretudo do PSD, mas também alguns do PS.

Segundo a Procuradoria-Geral da República de Lisboa (PGR), foram realizadas cerca de 70 buscas, incluindo escritórios de advogados, autarquias, sociedades e instalações partidárias em diversas zonas geográficas do território continental e dos Açores.

No esclarecimento hoje divulgado, a Câmara de Póvoa de Lanhoso refere que, no que lhe diz respeito, em causa está “um processo de fornecimento totalmente transparente”, sendo que o equipamento ainda não foi entregue e, consequentemente, ainda não foi pago.

“A câmara municipal teve uma necessidade, conforme tem centenas de necessidades, consultou o mercado e encomendou um serviço para um parque infantil, depois de consultar preço, e enviou requisição para essa empresa. Foi apenas isto que aconteceu, não há aqui nada para além daquilo que é um fornecimento normal, de dimensão pequena, que esta câmara municipal realiza centenas ao longo do ano”, acrescenta.

Diz ainda que a Polícia Judiciária está a fazer uma investigação à empresa Ambigold e pediu esclarecimentos à autarquia sobre que fornecimentos havia à câmara municipal.

“A câmara municipal, com toda a transparência, informou que não houve ainda nenhum fornecimento, existindo sim uma requisição feita muito recentemente e em relação à qual se aguarda o fornecimento”, lê-se ainda no esclarecimento.

A Ambigold tem como sócio-gerente Carlos Eduardo Reis, filho do antigo presidente da Câmara de Barcelos Fernando Reis (PSD).

A Lusa tentou contactar a Ambigold, mas tal não foi possível até ao momento.