• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Mundial2018: Portugal e três antigos campeões no arranque dos `oitavos`

30/06/2018 09:57

Portugal é uma das quatro seleções hoje envolvidas no arranque dos ‘oitavos’ do Mundial de futebol, sendo que todas as outras três são antigos campeões, desejosos de na Rússia ocupar o `trono` já deixado vago pela Alemanha.

Os oitavos de final, que se prolongam até terça-feira, começam com a Argentina - de Lionel Messi - contra a França, da parte da tarde (15:00), para depois ter, ao início da noite (19:00), o jogo entre os `patrioskas` - do outro `extraterrestre`, Cristiano Ronaldo - e o Uruguai.

Portugal regressa a Sochi, cidade onde iniciou este Mundial com o épico empate 3-3 com Espanha e o `hat-trick` de Cristiano Ronaldo, agora para defrontar uma seleção que fez o pleno na fase de grupos, incluindo um concludente 3-0 sobre a anfitriã Rússia.

A única dúvida a limitar as escolhas de Fernando Santos, será William Carvalho, o `6` da seleção, titular na fase de grupos e que teve de alterar os treinos por causa de mialgia de esforço. Sexta-feira, só fez corrida, mas o selecionador ainda não descartou aquele que é um dos seus jogadores de maior confiança.

Certo é que, quaisquer que sejam as opções finais do `mister`, Cristiano Ronaldo será o homem mais avançado no terreno, à procura de ser determinante no resultado e atingir mais alguns recordes pessoais - como o de golos lusos em Mundiais, já que está a dois de Eusébio.

A nível pessoal, `CR7` luta com o inglês Harry Kane e o belga Romelu Lukaku pela distinção de melhor marcador do torneio, precisando de marcar para empatar de novo com o britânico, que já tem cinco golos.

Outra `corrida` que certamente passa pelas prestações individuais é a da `Bola de Ouro` para o melhor jogador do ano, com o madeirense e Messi mais uma vez em grande rivalidade, com percursos impressionantes na Liga dos Campeões (Cristiano Ronaldo) e Liga espanhola (Messi).

A Argentina deu uma pálida imagem na prova, até agora, e só continua em campo graças a um golo `milagroso` de Rojo contra a Nigéria, a quatro minutos do fim. Mas tem Messi, capaz de a qualquer momento fazer a diferença e `carregar` uma seleção que consensualmente é apontada como das mais fracas das últimas décadas.

O adversário em Kazan é a França, vice-campeã da Europa, vencedora do seu grupo sem deslumbrar, com triunfos sobre Austrália e Peru e estratégico `nulo` com a Dinamarca.

Os dois vencedores de hoje jogarão de novo a 06 de julho, em Nijni Novgorod, palco do primeiro jogo dos quartos de final.