• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

STAL acusa a Braval de salários de miséria e de laborar em clamorosa ilegalidade

14/06/2018 00:02

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional acusa a Braval, empresa que trata de resíduos sólidos de municípios do distrito de Braga, de praticar salários de miséria e de laborar em clamorosa ilegalidade.

Em comunicado enviado à Lusa, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional Empresas Públicas, Concessionárias e Afins (STAL) adianta que há trabalhadores na Braval com 17 anos de serviço e a ganhar 380 euros por mês.

A precariedade e salários de miséria na Braval deveriam envergonhar os municípios, lê-se no comunicado

Segundo o STAL, a Braval controlada exclusivamente por entidades de direito público tem cerca de 140 trabalhadores, a maioria dos quais, apesar de contar mais de 17 anos de serviço, continua com vínculo precário a tempo parcial, auferindo um salário de apenas 380 euros mensais.