• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Treinador do Vitória Guimarães crê que a Liga “não ganha nada” com o desequilíbrio

11/05/2018 14:57

O treinador do Vitória de Guimarães, José Peseiro, afirmou hoje que o desequilíbrio sentido na edição da I Liga portuguesa de futebol, prestes a terminar, prejudica quer as equipas grandes, quer as pequenas.

Face a um campeonato marcado pelo ‘fosso` entre os quatro primeiros classificados e as restantes equipas - o quarto classificado, Sporting de Braga, tem 75 pontos, mais 27 do que o Rio Ave, quinto -, o técnico realçou que nem as equipas no lote da frente, nem as equipas no ‘pelotão` de trás beneficiam de tal disparidade de recursos.

Perdem as equipas pequenas que não têm capacidade para fazer grandes plantéis e fazer um jogo mais positivo e mais aberto. Os grandes não ganham nada com isso, porque depois têm falta de jogo contra equipas que lhes criem dificuldades, disse, na conferência de antevisão ao jogo com o virtual campeão nacional, FC Porto, da 34.ª e última jornada, agendado para as 16:00 de sábado, em Guimarães.

Para Peseiro, este desequilíbrio tem diminuído as possibilidades de as equipas lusas mais cotadas repetirem os grandes trajetos na Europa de outras épocas e contribuiu para a subida da Rússia ao sexto lugar do ‘ranking` da UEFA, em detrimento de Portugal, facto que, a seu ver, deveria ser combatido com maior equilíbrio.

Questionado ainda sobre as diferenças entre a sua prestação enquanto treinador do FC Porto, na época 2015/16 - foi terceiro classificado e perdeu a final da Taça de Portugal, com o Sporting de Braga, no desempate por penáltis - e a do atual técnico portista, Sérgio Conceição, Peseiro elogiou o trabalho da estrutura portista nesta época, mas realçou que houve contextos diferentes.

A minha passagem pelo FC Porto teve um contexto e recursos diferenciados. Entrei a meio da época, e não se pode comparar. O FC Porto está fortíssimo nesta época, disse o treinador vitoriano.