• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

Benfica vence no fim em Setúbal, com ‘bis’ de Raúl Jiménez

08/04/2018 09:17

Um penálti de Raúl Jímenez, que rendeu à última hora Jonas no ‘onze’ e ‘bisou’ frente ao Vitória de Setúbal, deu hoje aos 90+2 minutos o triunfo (2-1) ao Benfica, na 29.ª jornada da I Liga de futebol.

O êxito arrancado a ‘ferros` permite ao Benfica chegar ao clássico com o FC Porto na liderança isolada, sendo que, provisoriamente, a vantagem é de quatro pontos.

Os sadinos inauguraram o marcador aos três minutos, por Costinha, mas o atacante mexicano fez, aos 28 minutos e sobre o final, os golos que colocaram os muitos adeptos ‘encarnados` em festa no Estádio do Bonfim.

O treinador Rui Vitória teve uma baixa de vulto poucos minutos do início do encontro no Bonfim. Jonas, melhor marcador do campeonato, com 33 golos, apresentou queixas na região lombar e foi, já depois de ter iniciado os exercícios de aquecimento, substituído por Raúl Jiménez no ‘onze’.

Se no lado dos benfiquistas essa foi a única mudança em relação ao encontro da ronda anterior, com o Vitória de Guimarães (triunfo 2-0), nos vitorianos, José Couceiro, depois do êxito (4-1) na Vila das Aves, deu a titularidade a Arnold e Wallyson por troca, respetivamente, com Patrick Vieira e João Teixeira, ambos impedidos de atuar por estarem cedidos pelas ‘águias`.

Os sadinos entraram muito bem no jogo e conseguiram colocar-se em vantagem à passagem do minuto três, momento em que Costinha, num remate cruzado de primeira, após assistência de Nuno Pinto na esquerda, inaugurou o marcador para os anfitriões.

Depois de ter sido surpreendido no primeiro remate à baliza do jogo, o Benfica respondeu com um remate de Cervi, aos seis minutos, que passou ao lado do poste esquerdo da baliza defendida por Cristiano.

Numa fase em que o Benfica pressionava em busca da igualdade, aos 26 minutos, o guarda-redes do Vitória de Setúbal foi protagonista, ao defender um cabeceamento do defesa Jardel que levava selo de golo. No minuto seguinte, Cervi também ameaçou a baliza vitoriana.

Depois dos avisos, o Benfica, sem surpresa, chegou à igualdade aos 28 minutos, por intermédio de Raúl Jiménez que, ao segundo poste, aproveitou a passividade do guardião Cristiano e dos defesas Nuno Reis e Arnold para rematar forte para o golo, após cruzamento de Rafa no flanco direito.

Antes de terminar o primeiro tempo, aos 39 minutos, o conjunto setubalense conseguiu desenvolver uma jogada perigosa. O lance em que Edinho introduziu a bola na baliza, após passe de Costinha, foi anulado por fora de jogo do autor do primeiro golo.

No arranque da segunda parte, os comandados de Rui Vitória entraram bem e colocaram a defesa sadina em sobressalto através de lances desenvolvidos por Zivkovic e Cervi na esquerda, mas sem criar lances de golo iminente junto da baliza adversário nos primeiros 15 minutos.

Aos 63 minutos, o Vitória de Setúbal entrou na sua melhor fase e teve uma ocasião soberana. A equipa de José Couceiro só não passou para a frente do marcador porque o avançado Edinho teve uma perdida incrível, em zona frontal, ao disparar sobre a trave, após excelente assistência de Nuno Pinto.

Entusiasmados pelo lance anterior, os sadinos, aos 64 e 66 minutos, voltaram a desperdiçar dois lances em que tiveram tudo para concretizar: André Pereira e Wallyson, respetivamente, não tiveram a tranquilidade necessária para acertar na baliza defendida por Bruno Varela.

Já com Seferovic e Salvio em campo - substituíram Rafa (66 minutos) e Grimaldo (78), respetivamente, - o Benfica conseguiu quebrar o ímpeto dos anfitriões, que, aos 82 minutos, abdicaram de Edinho no ataque e apostaram no defesa Pedro Pinto para tentar segurar a igualdade.

Aos 83 minutos, Raúl Jiménez levou perigo à baliza sadina quando, num pontapé de bicicleta, obrigou o guarda-redes Cristiano a defesa atenta. Volvidos dois minutos, foi a vez de Salvio, só com o guardião sadino pela frente, rematar sobre a trave, deixando os adeptos ‘encarnados` à beira de um ‘ataque de nervos’.

Aos 89 minutos, os adeptos afetos ao emblema das ‘águias` gritaram golo depois de remate de Jardel, mas o lance foi anulado por fora de jogo do central brasileiro.

Aos 90+2 minutos, depois de uma falta cometido por Luís Felipe sobre Salvio no interior da área, o Benfica, numa grande penalidade convertida por Raúl Jiménez, chegou ao golo que lhe permitiu operar a reviravolta e somar os três pontos que permitem à equipa chegar ao clássico com o FC Porto como líder isolado.