• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

João Pedro Vaz assume Direção Artística d’ A Oficina, em Guimarães

25/01/2018 21:42

A Direção Artística d`A Oficina, régie-cooperativa municipal que gere os equipamentos culturais da cidade de Guimarães, vai ser assumida por João Pedro Vaz, que ocupava o cargo de diretor do Teatro Oficina, anunciou hoje aquela estrutura.

Em comunicado enviado à agência Lusa, A Oficina aponta assim o substituo de José Bastos, que dirigiu a cooperativa entre 2002 e 2013, tendo suspendido o cargo para assumir a vereação de Cultura da cidade e regressado em outubro, no final do mandato autárquico.

A saída definitiva de José Bastos da condução d`A Oficina foi hoje dada a conhecer no final da reunião do executivo camarário, tendo sido também anunciada a saída de Frederico Queiroz, atual Diretor de Planeamento e Controlo de Gestão da cooperativa, da estrutura que gere, entre outros espaços, o Centro Cultural Vila Flor, o Cento Internacional das Artes José de Guimarães e a Casa da Memória.

Segundo o comunicado d`A Oficina, foi o próprio José Bastos que pediu para deixar a cooperativa, para abraçar novos desafios profissionais, e o nome encontrado para o substituir corresponde à visão de política cultural prosseguida ao longo dos últimos anos e aos desafios que a Câmara Municipal, a Oficina e Guimarães têm pela frente.

A presidente da Oficina, a vereadora Adelina Paula Pinto, esclarece no texto que estas substituições se prendem única e exclusivamente com os motivos pessoais apresentados por ambos os diretores, que pretendem abraçar novos desafios, considerando que existe uma relação profissional e pessoal de grande estima e consideração mútuas.

As alterações na estrutura da Oficina foram um dos temas abordados na reunião do executivo camarário de hoje, embora a confirmação de ambas as saídas só tenha sido feita na habitual conversa com os jornalistas, no final dos trabalhos pelo presidente da autarquia, Domingos Bragança (PS).

Também em declarações aos jornalistas, o vereador do PSD Ricardo Araújo criticou o autarca pelo momento escolhido para confirmar aquelas saídas.

É profundamente condenável que o presidente não tenha transmitido em reunião de Câmara quando o confrontei. Eu questionei porque tinha informação de que havia instabilidade na estrutura orgânica e podia haver alterações de pessoas que ocupam lugares principais, mas não tinha confirmação de nada e daí ter questionado, explicou.

Não é ainda conhecido o nome de quem irá substituir Frederico Queiroz.