• Correio do Minho
Correio do Minho

Correio do Minho

Formulário de pesquisa

MNE avisa que é preciso tornar o bom momento económico do país num “dado estrutural”

14/12/2017 21:42

O ministro dos Negócios Estrangeiros avisou hoje que é preciso transformar o bom momento económico num dado estrutural e duradoiro, apontando como papel do Governo contribuir para o aumento da confiança e a boa gestão de incentivos.

Em Braga, a discursar na assinatura de um contrato de investimento em inovação produtiva de 48 milhões de euros entre a Bosch e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Augusto Santos Silva salientou o papel da confiança nas decisões de investimento estrangeiro em Portugal.

Vivemos hoje um bom momento do ponto de vista económico, vivemo-lo em Portugal, vivemo-lo na Zona Euro, mas é preciso transformar esse bom momento num dado estrutural e duradoiro, esse é o trabalho de todos e podem contar com o Governo nesse trabalho, afirmou o governante.

O responsável pela diplomacia do país realçou ainda a importância da confiança como fator para decisões de investimento, explicando a ação do Governo nesse sentido.

Esse [a confiança] é o fator mais importante e por isso sempre que nós trabalhamos no sentido de garantir o equilíbrio das nossas Finanças Públicas, a estabilidade das relações sociais, a estabilidade da nossa legislação e trabalhamos no sentido da redução de todos os obstáculos ao investimento estamos a favorecer a confiança que os outros têm em nós, disse.

Em segundo lugar o que é mais preciso é que consigamos usar seletivamente e produtivamente os instrumentos de apoio que dispomos, alguns são instrumentos de natureza fiscal, outros de natureza financeira, mas a boa gestão desses instrumentos é muito importante, explanou.

Augusto Santos Silva deixou ainda uma garantia: O que eu posso dizer em nome do Governo é que este compromisso de continuar a contribuir para o aumento da confiança e pela boa gestão dos incentivos de que dispomos, referiu.

O contrato a cuja assinatura Augusto Santos Silva assistiu entre a Bosch e a AICEP refere-se à expansão, modernização e otimização dos processos produtivos da unidade da multinacional alemã em Braga.

O grupo Bosch fez um investimento, em termos globais, de 275 milhões de euros em Portugal no período 2015/2016, sendo um dos principais investidores no país.